Sobre a Adenium obesum

Quem adquire uma planta, sonha em vê-la florida e linda, enfeitando e alegrando o ambiente. Para isso, é necessário conhecer a espécie adquirida para que os tratos culturais sejam adequados e também que não se tenha surpresas desagradáveis. Aqui falaremos sobre a adenium obesum, que é a espécie que cultivamos em nosso viveiro.

Número de pétalas

As plantas originadas de sementes podem não responder com a mesma cor e camadas de pétalas de seus pais. A muda pode herdar características de seus antecedentes e pode surgir com camadas de pétalas simples, mesmo sendo filha de pais com flores de dupla, tripla ou mais camadas. De acordo com informações em sites de grandes produtores estrangeiros, a probabilidade dos filhos, de pais com flores dobradas, herdar flores dobradas é em média 30%. Isso quer dizer que o gene que induz a produção de flores com uma camada de pétalas é dominante, então, 70% das mudas, em média, podem produzir flores com camada de pétalas simples, mesmo sendo filhos de pais que produzem flores dobradas. Considerando centenas de melhoristas apurando continuamente cores e números de pétalas essa estatística tende a ser melhorada. Em nosso viveiro também fazemos esse trabalho e já obtivemos índice de 60% em algumas variedades, de herdar flores duplas.

Cor das flores

Com relação a cor da flor segue abaixo os índices observados por nós e também divulgados por grandes produtores de outros países.

  • Pais que produzem flores vermelhas, os filhos nascem com 95% de probabilidade de produzirem flores vermelhas.
  • Pais que produzem flores brancas, filhos nascem com 90% de probabilidade de produzir flores brancas.
  • Pais que produzem flores flores amarelas, filhos nascem com 60% de probabilidade de produzir flores amarelas.
  • Pais que produzem flores cor rosa, filhos nascem com 95% de probabilidade de produzir flores tom de rosa.
  • Pais que produzem flores negras: alguns produtores alegam 60% e outros 40% de probabilidade dos filhos produzirem flores negras – em nosso viveiro ainda não conseguimos apurar essa estatística de forma segura.
  • Pais que produzem flores brancas com detalhes e bordas escuras, filhos nascem com 70% de probabilidade de nascer com essas características.
  • Pais que produzem flores roxas: alguns produtores informam 10% e outros 35% – é a cor mais difícil de se produzir. Pela nossa experiência, talvez 15% dos filhos produzirão flores roxas. A tendência é melhorar esta estatística.

Lembramos que os índices acima obedecem a critérios de matrizes conhecidas e polinizações controladas. Observamos que a cor da flor pode sofrer alterações geradas por fatores abióticos como: quantidade de luz recebida, temperatura, desnutrição, pH e desidratação. Vale ressaltar que o fato das plantas não herdarem em 100% as características de seus pais, faz com que surjam novas variedades e isso tem enriquecido a quantidade de rosas do deserto diferentes disponível no mercado.

Rega

A quantidade de regas a ser realizada está condicionada a quantidade de luz diária recebida bem como a drenagem do substrato e ainda a umidade relativa do ar. O mais correto é examinar; se estiver seco, faça a rega. É mais fácil a planta morrer pelo excesso do que pela falta de água. Quando a planta apresentar o caudex murcho é sintoma de falta de água, mas não é recomendável deixar chegar nesse estágio.

Adubação

Os seres vivos são aqueles que nascem, crescem, se reproduzem e morrem. As plantas, como seres vivos, precisam de água, luz, ar e alimento. Muita gente têm descuidado de fornecer alimento à sua planta. É preciso adubar a sua rosa do deserto. Já existe no mercado fertilizante específico para florescimento de rosa do deserto. Para aqueles que têm dificuldade em encontrar, poderão optar por fertilizantes para florescimento de orquídeas ou outros fertilizantes para flores. Quando fizer a poda da sua rosa do deserto, aplique fertilizante na formulação 10-10-10 para estimular a brotação.

Pragas e doenças

As pragas e doenças podem ocorrer de forma isolada ou em conjunto. Os ácaros, cochonilhas, pulgões, mosca branca e podridão do caudex, têm incomodado produtores e colecionadores da rosa do deserto. O melhor método é a lavagem da planta em água corrente para remoção das pragas. Inseticidas, acaricidas e fungicidas só devem ser usados sob a recomendação de um profissional.

Veja no vídeo abaixo como preparar uma armadilha para mosca branca. Fazemos uso desse método em nosso viveiro com bons resultados.

A podridão do caudex deve ser removida através de cortes das partes comprometidas. É importante, após o corte, aplicar pasta cicatrizante. Existe algumas disponíveis para venda no mercado, como a pasta bordalesa. A pasta bordalesa pode ser feita em casa utilizando duas partes de cal virgem e uma parte de sulfato de cobre, mistura-se com água até formar uma pasta e a aplique nos ferimentos após o corte. Faça apenas a quantidade a ser utilizada, a pasta pronta não deve ser guardada.